2ª Via IPTU 2ª Via ISS

Notícias

Cidadãos são homenageados em Santa Gertrudes

Imprensa |

 

IMG_9938Em solenidade bastante emocionante e festiva, cidadãos gertrudenses foram homenageados. Um momento mágico, de reconhecimento e valorização de cidadãos que se destacaram e se destacam no cenário histórico do município de Santa Gertrudes e, principalmente porque suas histórias de vida se confundem com a história de nossa cidade.

A iniciativa faz parte do Projeto Cidadania, oferecido pela Prefeitura Municipal, através da Secretaria Municipal de Educação de Santa Gertrudes, que vem sendo desenvolvido ao longo do ano de 2015. “O projeto cidadania tem como objetivo principal desenvolver o sentimento de respeito e admiração pelo município e pela pátria, através da divulgação dos símbolos nacionais, estaduais e municipais, entre os estudantes da Educação Infantil e Ensino Fundamental”, destaca a secretária de Educação Iara Lopes dos Santos.

IMG_9977Entre os homenageados estavam: a parteira e enfermeira Adelaide de Oliveira Sartório; o sacristão Albino Beraldo; a professora Amélia Marigo, dona Ica – Antônia Cocco que dedicou-se ao velório por mais de 20 anos; o maestro Antônio Marcos Garcia – Bacco; a merendeira Joana Denardi Svenson, tia Joaninha; Tio Jaque – Joaquim Ribeiro Garcia o perueiro da cidade; o auxiliar dentário José Carlos Quirino; o esportista e escritor José Filier, mais conhecido como Kepo;  Maria Aparecida Dragoni Bissoli, mais conhecida como a enfermeira Cidinha; a professora Maria Aparecida Vitte Arthur – Cidinha Arthur, nossa tão querida dona Cidoca; a cozinheira Natalina Garcia Belotto; o músico Rodolfo de Oliveira e a professora Sandra Filier Pim, a dona Sandra.

IMG_0260O prefeito Rogério Pascon, destacou a importância do reconhecimento de pessoas que muito se dedicam e dedicaram ao longo de suas trajetórias de vida, sempre buscando ajudar ao próximo e não medindo esforços em prol do melhor para o município.

Durante a solenidade os presentes puderam prestigiar belíssimas apresentações de alunos da Escola Cecy, intitulada “Coração Brasileiro”; Escola Edna, o musical “Maria Maria”, e alunos da Escola João Ruffino.

Conheça a História dos Homenageados:

1- ADELAIDE DE OLIVEIRA SARTÓRIOHOMENAGEADA: Adelaide de Oliveira Sartório   

Durante décadas de profissão, esta cidadã santagertrudense ajudou a trazer ao mundo dezenas de crianças.

Segundo ela, seu trabalho permitiu ver o brilho no olhar de muitas mães ao verem o rosto de seu filho tão sonhado. “Enxergo minha profissão como uma dádiva. Estar presente no momento em que se consolida o milagre da vida é uma grande benção”, conta ela que, inclusive, fez alguns partos em casa, emoção ímpar que não dá para descrever.

Natural de Uchoa, interior de São Paulo, nasceu em 01 de janeiro de 1932. Quando menina mudou-se para Rio Claro, cidade onde permaneceu até seus tenros 16 anos, depois se mudou para São Paulo, local em que começou a trabalhar como enfermeira.

Na capital, trabalhou no Instituto de Moléstias de Ouvido, Nariz e Garganta, no Pronto-Socorro Infantil Angélica, na Policlínica Santa Fé e fez ainda estágio no Hospital das Clínicas.

Voltou para Santa Gertrudes na década de 80, iniciando, agora na região, um importante trabalho na área da Saúde. Foi chefe do Centro Obstétrico da Maternidade da Santa Casa de Misericórdia de Rio Claro.

Em Santa Gertrudes, esteve por quatro anos no Posto de Saúde Municipal, cuidando de crianças e idosos.

É inegável que esta profissão é feita de muitos desafios, mas a alegria de lutar pela saúde do nosso semelhante e a beleza de trazer crianças ao mundo compensa tudo.

Estamos falando aqui de nossa maior Parteira, aquela que trouxe ao seio deste município inúmeras e ilustres crianças, esta é a senhora Adelaide que viu literalmente em suas mãos nascer a vida.

2- ALBINO BERALDOHOMENAGEADO: Albino Beraldo

Este é mais um santagertrudense que começou a trabalhar muito cedo, ainda menino.

Foi operário e trabalhador braçal em diversas cerâmicas do município. Trabalhou também como operador de máquina no antigo Cine Recreio de nossa cidade.

Fanático por futebol e torcedor do Palmeiras, esteve presente nos campos de futebol desempenhando a função de roupeiro do Santa Gertrudes Futebol Clube.

Já aposentado tornou-se um fiel representado do município em diversos campeonatos de dama, ganhando assim inúmeras medalhas.

Porém, de todos os seus feitos o que marcou mais a sua vida foi ter sido sacristão da igreja católica voluntariamente por onde ficou cerca de 20 anos.

Sempre muito dedicado e esbanjando seu amor ao próximo, ele ajudava também de maneira voluntária, nos sepultamentos que ocorriam aqui na cidade.

Nos dias de hoje ele ainda não deixou de lado seu espírito solidário, em posse de seus bem vividos 93 anos, sua rotina é mais leve, depois de suas caminhadas matinais ele descansa em sua casa e se distrai fazendo bengalas de madeira para doar aos que necessitam.

Nascido aos oito dias do mês de julho de 1922, prestamos nossas homenagens a mais um ilustre gertrudense que contribuiu e ainda contribui com a cidade de Santa Gertrudes, seu Albino Beraldo.

3- AMÉLIA MARIGO HOMENAGEADA: Amélia Marigo

Na fazenda Granja Santa Cruz, há exatos 63 anos ela iniciou sua carreira docente. Professora formada pelo Colégio Puríssimo Coração de Maria.

Muito dedicada e apaixonada pela profissão, destinou grande parte de sua vida à educação santagertrudense.

Durante 12 anos deu aulas no curso Supletivo, hoje conhecido como EJA – Educação de Jovens e Adultos, ajudando e alfabetizando esses munícipes que não tiveram oportunidades na idade certa, e segundo ela esta foi sua maior paixão.

Extremamente religiosa, ofertava grande parte de seu tempo preparando as crianças para a primeira comunhão, foi uma catequista sempre muito presente e comprometida, dona de uma bondade sem medidas.

Em sua trajetória realizou vários cursos de aperfeiçoamento, podendo assim coordenar e dirigir as escolas de Educação Infantil Vereador Eugênio Secco, a EMEI Lygia Buschinelli e também a EMEI Thereza Seneme Ferro. Esta educadora é um grande ícone de nosso município, tanto que seus olhinhos brilharam no dia da inauguração do novo prédio da EMEI Eugênio; imaginamos quantas histórias e lindas lembranças não passaram em sua mente neste dia.

Irmã muito querida, afetuosa e dedicada auxiliou muito na criação de sua irmãzinha Mara, sempre companheiras o que nos traz à memória são as duas de braços dados percorrendo as ruas de nossa cidade e cantando no coral da igreja.

Estamos nos referindo aqui à educadora mais antiga do nosso município, a sempre eterna e jovial, dona Amélia Marigo.

4- ANTÔNIA COCCO ( ICA COCO)HOMENAGEADA: Antônia Cocco

Ainda muito criança começou a trabalhar, tinha apenas 13 anos.  Sua trajetória profissional foi marcada por apenas dois empregos, permaneceu exatos 35 anos nas indústrias cerâmicas aqui de nossa cidade. Já aposentada muito jovem ainda, cheia de vigor e disposição iniciou nova trilha na Prefeitura Municipal.

Com sol ou chuva, entregava de casa em casa os carnês de IPTU, logo depois com a inauguração do velório ela passou a se dedicar exclusivamente a função de cuidar, preservar e acalentar as famílias nas horas mais difíceis de suas vidas, sem medir esforços para prestar solidariedade e carinho, permanecendo agora mais 22 anos, pois cuidar do velório tornou-se parte de seu viver.

Sempre muito altiva, reluzente, postura firme e imponente, assim se mostrava, por ser bastante religiosa, além de não faltar às missas ainda ajudava voluntariamente na igreja nas celebrações, nos casamentos e batizados.

Pessoa marcante e fundamental para o desenvolvimento e progresso de nossa cidade, está sempre presente, em todas as nossas inaugurações, prestigiando e nos acariciando com sua presença.

Citamos aqui a nossa querida amiga Antonia Cocco, mais conhecida carinhosamente como simplesmente, dona ICA.

5- ANTONIO MARCOS GARCIA ( BACCOHOMENAGEADO: Antônio Marcos Garcia

De estatura baixa e um coração gigante, este santagertrudense sempre demonstrou um gosto muito apurado pela música, principalmente a instrumental.

Nascido nesta terra aos dezessete dias do mês de fevereiro de 1957, hoje casado e pai de um jovem músico, tem na música a sua vida e sua profissão.

Quando começou a trabalhar como professor de música não tinha informação nem formação suficiente por conta dos diversos e diferentes instrumentos que iria ensinar. Porém, isso jamais o abateu, nosso maestro, profissão assim denominada nos dias de hoje, correu atrás de seu conhecimento durante todos os anos seguintes, procurou estudar para alcançar seu sonho mais desejado que era o de formar um grupo musical, ou seja, uma banda de porte pequeno. A batalha foi grande, eram muitos altos e baixos,  porém a vitória veio pela determinação.

Durante anos, o maestro e músico juntamente com sua sonhada banda acordavam as mamães gertrudenses envoltas por uma linda serenata em homenagem ao Dia das Mães, percorrendo as ruas desta cidade espalhando amor e encanto.

Hoje, seu desejo se realizou. Atualmente a Corporação Musical “Augusto Trambaiolli” conta com 23 músicos, sendo que destes 80% são formados na escolinha de música do maestro.

Estamos falando aqui do ilustre Antônio Marcos Garcia, conhecido por nós carinhosamente, como simplesmente BACCO.

6- JOANA DENARDI SVENSON (TIA JOANINHA) HOMENAGEADA: Joana Denardi Svenson

Diz à lenda que quando a comida é boa somos agarrados pelo estômago de tal forma que jamais conseguimos esquecer das mãos que nos agarraram, ainda mais se o tempero for feito com amor, não há tempo que possa tirar o seu sabor ou apagá-lo.

Cozinhar para uma família não é fácil, requer talento e muita criatividade, cozinhar para inúmeras crianças é mais difícil ainda, pois é necessário doses de afeto, pitadas de paixão e toneladas de ternura.

Nossa cidadã, agora homenageada trabalhou como merendeira por quase 20 anos na EMEI Eugênio Secco, nesta ela não só cozinhava mais ajudava na formação do caráter de muitas crianças que a amava pelo carinho e dedicação.

Mexeu as panelas e os corações de muitos alunos que por lá passaram até o ano de 1992, data de sua aposentadoria, porém, até hoje sente muita saudade do trabalho e de todas as pessoas que conviviam com ela.

Todo ano deixava sua família e dedicava semanas em prol dos alunos, acompanhando-os aos Jogos Regionais, sendo merendeira, amiga e mãe; cuidando deles como se fossem seus filhos, para que seus familiares ficassem mais tranquilos.

Ela fica muito feliz quando alguém a reconhece e a chama de tia Joaninha, como quando eram crianças. Quem não conhece a Tia Joaninha? A senhora Joana Denardi Svenson.

7- JOAQUIM RIBEIRO GARCIA (TIO JACK)HOMENAGEADO: Joaquim Ribeiro Garcia

Filho ilustre desta terra contribuiu de diversas formas com a comunidade gertrudense. Durante muitos anos, antes mesmo do dia nascer ele percorria as ruas da cidade entregando pães de casa em casa. O sininho de sua carrocinha de pão despertava os mais dorminhocos.

Dono de um belo bigode e sempre fazendo uso de seu boné, marcas registradas de sua pessoa, altivo, alegre e esbanjando felicidade ele desfilava pelas ruas desta cidade e conhecia cada pedacinho deste chão.

Virou um verdadeiro ícone da criançada, porque durante muitos anos famílias gertrudenses confiavam a ele a incumbência de levar seus filhos à escola. Quem não se lembra daquela reluzente perua Kombi amarela ouro que circulava por todos os cantos, foi nessa época que ganhou o apelido de tio Jaque, o qual permanece até os dias de hoje.

Sempre muito bondoso e simpático as pessoas passam em frente a sua casa, onde ele está sempre sentadinho, o cumprimentam, param para conversar e relembrar histórias.

Recentemente completou seus bem vividos 90 anos e tem a honra de desfrutar do descanso da aposentadoria e do bate papo com os amigos, porém, jamais se esquecerá da época em que levava as crianças para as escolas de perua Kombi, amarela.

Vem Tio Jaque, Joaquim Ribeiro Garcia, nossa homenagem é para o senhor.

8- JOSÉ CARLOS QUIRINO (CARLOS QUIRINO)HOMENAGEADO: José Carlos Quirino

Com ar jovial, vive com um sorriso estampado no rosto, radiante simplesmente por viver. Sua trajetória profissional percorreu vários caminhos. Com extrema dedicação e talento se doou muito para o município de Santa Gertrudes.

De seus 35 anos árduos de trabalho, 20 destes foram dedicados à educação onde abraçou as escolas por todos os lados, começando pelo jardim, cuidava das flores, depois da limpeza, logo em seguida passou para orientador de alunos, quem não se lembra deste personagem santagertrudense com seu apito nos intervalos e auxiliando na escovação e aplicação de flúor e ainda nas horas vagas arriscava algumas aulinhas eventuais.

Sempre muito determinado cursou duas faculdades, porém sua maior paixão veio ao adentrar em um consultório dentário. Com bravura estudo e muita dedicação passou de orientador de alunos a auxiliar dentário, onde atua há exatos 15 anos. Por onde passou sempre foi muito querido, conquistou inúmeros amigos e fãs porque durante anos abrilhantou os palcos de nossa cidade com suas performances nas festividades municipais.

Em conjunto com sua profissão, nunca mediu esforços e mesmo em seus horários de descanso, serviu a comunidade realizando os sonhos dos munícipes como juiz de paz.

Estamos falando aqui do filho do saudoso senhor José Quirino e da saudosa dona Iolanda, o sempre jovem José Carlos Quirino, o nosso querido Carlos.

9- JOSÉ FILIER (KEPO)HOMENAGEADO: José Filier

Vindo de uma das mais antigas e tradicionais famílias de Santa Gertrudes, filho caçula de uma linhagem de 5 irmãos, Corintiano roxo, se destacou entre os melhores jogadores de nossa cidade, sendo campeão amador em Rio Claro pelo Esporte Clube União de Santa Gertrudes no ano de 1969.

Um dos primeiros comércios a ser instalado em nossa cidade pertenceu à sua família. Esteve no trabalho ao lado de seus irmãos Antônio e Aurélio, no tradicional armazém com denominação de Irmãos Filier Limitada. Sua principal clientela era da Fazenda Santa Gertrudes e os moradores do centro da cidade.

No âmbito político foi vereador por 2 mandatos consecutivos de 1977-1982 e 1983-1988, colaborando com várias obras no município existentes até hoje e ainda trabalhou como Diretor na Câmara Municipal de Santa Gertrudes por 4 anos.

Poeta por paixão escreveu “Santa Gertrudes, terra abençoada por deus. Quão felizes estão hoje os filhos teus”, deixando assim suas marcas nos anais gertrudenses com a composição de um Hino e um poema em Homenagem aos 50 anos da Cidade, permanecendo assim gravado todo seu amor e ternura pela terra onde nasceu.

Marido da dona Ivone, pai de três filhos e com dois netos lindos, estamos falando do gertrudense José Filier, mais conhecido como KEPO.

10- MARIA APARECIDA DRAGONI BISSOLI (CIDINHA)HOMENAGEADA: Maria Aparecida Dragoni Bissoli

Cuidar da saúde das pessoas não é nada fácil, necessita de muito talento e de um dom especial, porém, quando gostamos do que fazemos é nele que depositamos nosso amor e dedicação, assim tudo se torna leve e possível.

Em 1967, aos 22 anos iniciou na sua profissão e nela permaneceu por 48 anos divididos entre a Santa Casa de Rio Claro, e o Hospital Santa Filomena no mesmo município e 23 anos no pronto socorro de Santa Gertrudes, onde permaneceu até após sua aposentadoria.

Casada, mãe de três filhas, sendo que uma delas hoje está percorrendo o mesmo caminho da mãe, levando adiante seu legado de cuidar e proteger seus pacientes.

Nos históricos do Pronto Socorro municipal de nossa cidade temos as marcas dessa tão dedicada e eficiente enfermeira, a qual sempre usou de sua calma, paciência e delicadeza para atuar e cuidar de todos os munícipes que por lá passaram, levando sempre uma palavra de conforto aos mais necessitados, pois acreditava que a recuperação de todos os pacientes dependia também deste lado humano e solidário.

Estamos falando da avó da Luara, da Eduarda, do Matheus, da Bruna e do Rafael, a senhora Maria Aparecida Dragoni Bissoli, mais conhecida como a enfermeira Cidinha.

11- MARIA APARECIDA VITTE ARTHUR (D. CIDINHA)HOMENAGEADA: Maria Aparecida Vitte Arthur

Pequenina flor, meiga e delicada mais com a grandeza de um leão, capaz de comandar um exército, um exército de alunos.

Dona de uma formação acadêmica de primeira linha, licenciada em pedagogia e em letras, lecionou por vários anos e esteve à frente de diferentes escolas do município como vice-diretora e como diretora.

Sua ternura encanta com quem ela convive e conviveu, seus alunos, professores e funcionários sempre a viram como uma mãezona, aquela que é capaz de ouvir e aconselhar, de mãos firmes pra gerenciar os conflitos e que ao mesmo tempo sabia como acalentar.

Senhora de uma calma que é capaz de abrandar os corações, nunca fez mal a ninguém, ao contrário sempre estendeu a mão pra ajudar o próximo.

Esposa, mãe de três filhos, deixou registrado em nossos acervos municipais somente sementes do bem.

Leitora assídua e efetiva do Diário Oficial da União, tinha o cuidado de todos os dias ler e repassar as informações nele obtidas tanto na área de educação como à própria prefeitura municipal.

Estamos falando aqui da dona Cidinha Arthur, nossa tão querida dona Cidoca.

12- NATALINA GARCIA BELOTTO (TIA NATALINA)HOMENAGEADA: Natalina Garcia Belotto

Em sua tenra adolescência trabalhou arduamente nas indústrias cerâmicas aqui de nossa cidade. Iniciando seu trabalho no serviço público em 1969, onde ficou até se aposentar.

A cozinha e as panelas a acompanham até os dias de hoje. Cozinheira de forno e fogão e mãe de sete filhos ensinou todos a cozinhar, inclusive os três homens.

Até sua aposentadoria e mais 5 anos seguidos foi merendeira na EMEI Eugênio Secco, ao lado de sua fiel amiga Tica, a qual foi levada daqui em um incêndio acidental, que até hoje traz muita tristeza e saudades à nossa homenageada.

Sozinha na cozinha ela permaneceu por longos anos, preparando a merenda às crianças daquela época. Fiel  companheira, sua filha Roseli conta que ela fazia todo tipo de comida na escola, bolos, salgadinhos e até mesmo pimentão recheado.

Sempre que pode foi voluntária nas festividades da cidade ajudando também na cozinha.

Seu nome carrega o brilho e o encanto do Natal, nos referimos aqui a senhora Natalina Garcia Belotto, que nasceu aos vinte e quatro dias do mês de dezembro, conhecida assim por todos aqueles que passaram pela EMEI, nossa querida Tia Natalina.

rodolfoHOMENAGEADO: Rodolfo de Oliveira

Sinônimo de docilidade e simpatia, Dono de uma educação apurada, trata todas as pessoas com muita amabilidade. Desde muito pequeno sempre demonstrou seu gosto refinado pela música.

A partir dos 18 anos de idade procurou estudar e aprofundar seus conhecimentos musicais com vários professores de renome nacional e internacional.

Dono de uma cabeleira marcante, ele percorria em sua bicicleta Calói 10 as nossas escolas levando em suas costas seu fiel violão e todo seu conhecimento musical.

Foi o idealizador e responsável pelo projeto “musicalização nas escolas” de Santa Gertrudes. Em todas as nossas formaturas a presença do seu coral era certeira, ele mesmo acompanhava os alunos no trajeto do ônibus, buscando as crianças praticamente de casa em casa demonstrando todo seu comprometimento e paixão pelo que fazia e principalmente pelos seus alunos.

No ano de 2006, compôs a trilha sonora para o curta-metragem “O Bilhete”, filme que foi premiado em vários festivais do país e do exterior e exibido pelo canal Futura.

Em 2007 formou-se num dos mais conceituados conservatórios do país, o Conservatório Dramático e Musical “Dr. Carlos de Campos” em Tatuí- SP, no curso de guitarra MPB/Jazz.

Atualmente, além de desenvolver sua carreira musical como vocal/ guitarrista, trabalha também no Projeto Guri nas cidades de Santa Gertrudes e São Carlos, onde tem o cargo de Educador Musical de violão e guitarra.

O pai do Rodolfinho e da pequena Gabriela, infelizmente seus compromissos profissionais o impediram de estar presente nesta solenidade, portanto, chamamos sua esposa Vanessa para que receba nosso carinho em nome do músico Rodolfo de Oliveira.

14- SANDRA FILIER PIMHOMENAGEADA: Sandra Filier Pim

Gertrudense da gema, dona de um sorriso que não lhe cabe no rosto e de uma simpatia maior que ela. Amigona, parceira, mãe em todas as horas.

Alfabetizadora de mão cheia, carinhosa ao extremo ao seu lado nas salas dos professores nunca teve tempo ruim.

Iniciou sua carreira docente na escola de educação infantil “Vereador Eugênio Secco”, porém, até se firmar efetivamente em nossas escolas municipais viajou muito pelas estradas paulistas, foi de Nazaré Paulista a Limeira onde percorreu várias escolas até que finalmente foi removida e definitivamente para cá.

Em nosso município, como professora efetiva passou primeiramente pela escola isolada da fazenda Granja Santa Cruz, depois para escola “Pedro Raphael da Rocha” e enfim para EMEF “Joaquim Raphael da Rocha”, onde permaneceu até sua aposentadoria.

Durante toda sua vida aprendeu a ensinar com amor, dedicação, responsabilidade e paciência, mesmo que as dores de suas pernas falassem mais alto, ela nunca deixou se abater e tão pouco desistiu de seus alunos.

Ajudou a preparar as mentes do futuro, inspirando seus alunos a aprenderem, a descobrirem e a serem críticos, mas, também lhes fornecendo bases para que se tornassem pessoas de boa índole.

Sua prontidão em ajudar, seus incentivos e suas palavras amigas ficarão guardadas eternamente nos corações de seus alunos que hoje são homens e mulheres e de todos seus amigos de trabalho, pois seu exemplo fala por si.

“O destino une e separa as pessoas, mas, nenhuma força é tão grande para fazer esquecer pessoas que por algum motivo, um dia nos fizeram felizes”, falamos da professora Sandra Filier Pim, a dona Sandra.

Mais fotos:

 

http://www.santagertrudes.sp.gov.br/galeria/projeto-cidadania/