2ª Via IPTU 2ª Via ISS

Notícias

TODOS CONTRA A HANSENÍASE

Imprensa |

Neste mês a Secretaria Municipal da Saúde realiza a campanha janeiro roxo para o combate da hanseníase. A campanha se faz necessária porque apesar do número de casos ter caído nos últimos 10 anos, a falta de diagnóstico e tratamento em algumas partes do país aumentou o número de pacientes com sequelas.

A hanseníase,  é uma doença infecciosa causada por uma bactéria chamada Mycobacterium leprae.

A doença é curável, mas se não tratada pode ser preocupante. O tratamento é oferecido gratuitamente.

A melhor forma de prevenir a doença é mantendo o sistema imunológico eficiente. Ter boa alimentação, praticar atividade física e condições aceitáveis de higiene também ajudam a manter a doença longe, pois caso haja contato com a bactéria, logo o organismo irá combatê-la.

Outra dica importante é que quando for diagnosticado um caso de hanseníase os familiares e pessoas próximas procurarem uma Unidade Básica de Saúde para avaliação. Dessa forma, a doença não será transmitida nem pela família nem pelos parentes próximos e amigos.

janeiro roxo

O Tratamento é gratuito e fornecido pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Antibióticos são usados para tratar as infecções. Nas formas mais brandas (paucibacilar) demora em torno de seis meses, já nas formas mais graves (multibacilar) o tempo é aproximadamente um ano.

É fundamental seguir o tratamento, pois é eficaz e permite a cura da doença, caso não seja interrompido. A primeira dose do medicamento já garante que a hanseníase não será transmitida.

A transmissão acontece através de contato íntimo e contínuo com o doente não tratado. Apesar de ser uma doença da pele, é transmitida através de gotículas que saem do nariz, ou através da saliva do paciente. Não há transmissão pelo contato com a pele do paciente.

Afeta primordialmente a pele, mas pode afetar também os olhos, os nervos periféricos e, eventualmente, outros órgãos. Ao penetrar no organismo, a bactéria inicia uma luta com o sistema imunológico do paciente. O período de incubação é prolongado, e pode variar de seis meses a seis anos.

O primeiro e principal sintoma são o aparecimento de manchas de cor parda, ou eritematosas, que são pouco visíveis e com limites imprecisos.

Nas áreas afetadas pela hanseníase, o paciente apresenta perda de sensibilidade térmica, perda de pelos e ausência de transpiração. Quando lesiona o nervo da região em que se manifestou a doença, causa dormência e perda de tônus muscular na área.

Podem aparecer caroços e/ou inchaços nas partes mais frias do corpo, como orelhas, mãos e cotovelos; e pode haver alteração na musculatura esquelética causando deformidades nos membros.

Procure uma unidade de saúde mais próxima de sua residência.

  • A hanseníase tem cura, desde que tratada adequadamente.
  • O tratamento NÃO deve ser abandonado, mesmo com o desaparecimento dos sintomas.
  • Compartilhar talheres, copos, toalhas ou banheiros Não transmite hanseníase. Beijos e abraços também não.